Bancário

Cheque devolvido: principais motivos para devolução

Published

on

Com novas opções de pagamento, ter um cheque devolvido já não é mais algo tão comum. Mas quando isso acontece, dá a maior dor de cabeça.

Mesmo assim, anualmente milhões de cheques são devolvidos por diversos motivos. Mas você sabe quais são essas causas?

Leia esse texto para saber as principais causas de cheque devolvido e aprender a proteger o seu CPF.

Quais são os motivos de ter um cheque devolvido?

Ter um cheque devolvido é muito chato e, acaba dando um trabalhão. Mas quando isso acontece, o banco precisa justificar.

Para facilitar a separação desses motivos, existem códigos específicos. Veja os principais a seguir:

  • Cheque sem fundo engloba as causas 11, 12, 13 e 14[C1] ;
  • Impedimento de pagamento pode ser representado pelos códigos 20 a 28, 30 e 70;
  • Irregularidade no cheque pode vir com códigos 31, 33, 34 e 35;
  • Apresentação indevida tem representação por meio dos códigos 37 a 45, 48 e 49;
  • Emissão indevida: códigos 59, 60, 61 e 64.

Se você ainda está com dúvidas, pode consultar a lista de todos os códigos que fica disponível para acesso no site do Banco Central.

Outros motivos comuns

Existem mais dois motivos que vale a pena comentar porque são muito comuns de acontecer. Veja a descrição deles a seguir:

Motivo 22: Divergência ou falta de assinatura

Quando você passa um cheque sem assinatura ou, com a assinatura diferente da original, pode ter o cheque devolvido.

Para evitar que isso aconteça, é fundamental ter cuidado ao assinar o cheque. Confira todas as informações, incluindo data e valor.

Motivo 48: cheque acima de R$100, em que falta a identificação

Como via de regra, todos os cheques com valor superior a R$100 devem ter a identificação do beneficiário para serem aceitos.

Então, sempre coloque o nome da pessoa ou empresa que vai receber o pagamento que você está efetuando.

O preenchimento adequado é fundamental para evitar ter um cheque devolvido.

Cheque devolvido: qual é o protocolo?

Primeiramente, sempre que há um cheque devolvido o banco que o recebeu precisa anotar a causa no verso.

Isso é necessário para que o dono da folha saiba o motivo do bloqueio e, consiga solucionar o problema rapidamente.

Caso o cheque devolvido seja por saldo insuficiente, a instituição bancária avisa o titular para que ele disponibilize o valor necessário. Nesse caso não há multa.

Mas caso haja uma segunda devolução do mesmo cheque por falta de salto, então cada banco define as suas regras para a quitação da dívida.

Mas caso não haja a regularização dessa vez, o nome vai diretamente para o CCF (Cadastro de Emitentes de Cheque sem Fundos).

Depois que isso acontece, é preciso pagar uma taxa para a exclusão do nome desse cadastro. O valor a ser pago varia de banco para banco.

É importante saber também que esse tipo de inclusão no sistema gera restrição de crédito. Por isso, para não ter problemas com o seu CPF é fundamental ter cuidado.

Como faço o resgate de um cheque devolvido?

Uma vez que você paga alguém usando cheque, ele pode ganhar destinos diversos e, ser depositado em qualquer banco.

Por isso, é comum que o banco tenha dificuldades em localizar o dono e, pode ser que você não consiga encontrar o cheque.

Mas é possível solicitar a microfilmagem do cheque devolvido, pois assim é possível descobrir o histórico da movimentação.

Caso não seja possível localizar a pessoa que está com o cheque, então é necessário encontrar um advogado que dê entrada à ação.

Conclusão

Por mais que essa não seja mais a forma de pagamento mais popular, ter um cheque devolvido é algo bastante comum.

Existem muitos motivos para cheque devolvido e, agora você já conhece os principais.

Gostou? Compartilhe!



Gostou? Compartilhe com seus amigos em suas redes sociais!