Auxílio emergencial

Auxílio emergencial em 2021: ainda é possível?

Published

on

Um novo Projeto de Lei com escopo de estender o auxílio emergencial concedido pelo governo foi protocolado esta semana. Desse modo, o autor do PL, Senador Alessandro Vieira do Cidadania, objetiva mitigar os efeitos da pandemia no território nacional.

Na verdade, com o estado de calamidade pública prorrogado por mais 3 meses governantes das esferas municipais e estaduais poderão atuar com maior liberdade no combate ao Covid-19. Ademais as pessoas terão um amparo para suprir suas necessidades mais prementes nesse nebuloso período.

Com a chegada do fim do ano muitas pessoas começam a entrar em desespero, pois com os atuais níveis de desemprego conseguir renda está bem difícil. Nesse sentido, esse novo projeto chegar em boa hora e o Senador sergipano tem trabalhado para incluir o PL na pauta do Senado Federal.

Visto que o auxílio emergencial, bem como o estado de calamidade pública serão extintos no último dia do ano. Mas, o Senador Vieira enfatiza que a prorrogação deste prazo é fundamental para o enfrentamento das dificuldades econômicos decorrentes da pandemia do novo coronavírus.

Principalmente porque a questão da vacinação ainda é incerta e, mesmo após aprovada, levará um bom tempo até imunizar toda a população. Segundo palavras do próprio Senador Alessandro Vieira, o governo tem sido inerte em elaborar uma programa de vacinação efetivo antes desse período.

Talvez você gostePIS tem último lote liberado este ano, R$ 1.045

A palavra do governo sobre o Auxílio Emergencial

O presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, reafirmou recentemente que o Auxílio Emergencial não poderá ser prorrogado. O Chefe do Executivo Federal, deixou claro que o programa tinha caráter emergencial e se for estendido pode afetar seriamente o equilíbrio das contas do governo.

Jair Bolsonaro afirmou: “auxílio é emergencial, o próprio nome diz: é emergencial, não podemos ficar sinalizando em prorrogar e prorrogar e prorrogar”. Ele concluiu dizendo em alto e bom som: “acaba agora em dezembro”. Em contrapartida, Bolsonaro garantiu que tem falado com a equipe econômica do governo sobre a possibilidade de um aumento nos valores pagos pelo Bolsa Família.

Você pode gostar: Imposto de Renda: 3 razões porque o IR é o imposto mais odiado do Brasil

Gostou? Compartilhe!



Gostou? Compartilhe com seus amigos em suas redes sociais!
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *